Festival

Cinco bandas internacionais e uma banda nacional de Bluegrass vão atuar nesta 2.ª edição, duas vezes em vários espaços da vila da Trafaria, tornando-a numa vila musical, mais uma vez!
Para além disso, irão acontecer diversas atividades paralelas, com o propósito de dar a conhecer o Bluegrass e a Trafaria aos seus visitantes.

Reserva já a data na tua agenda e fica atento ao nosso site, newsletter ou redes sociais, para saberes mais!

Programa

divider

Sabe mais sobre a 2ª edição do Festival Internacional de Música Bluegrass!

Bandas

divider

Chris Luquette East Coast Bluegrass Band

Estados Unidos da América

Formada em 2023 para satisfazer o desejo da cidade de Nova York por harmonias perfeitas na música Bluegrass, a banda Chris Luquette East Coast Bluegrass Band combina coletivamente com mais de 40 anos  de experiência profissional na música bluegrass e apresenta 4 dos melhores músicos de Nova York. Juntos, uniram forças para apresentar finas harmonias com solos deliciosos e um sentido dinâmico que raramente se ouve na música moderna.

Nativo de Seattle e já duas vezes indicado aos prémios Grammy, Chris Luquette (ex-Frank Solivan e Dirty Kitchen), juntou-se ao excelente banjoísta Ellery Marshall, ao bandolinista Cesar Moreno e ao reconhecido contrabaixista Max Johnson para formarem a Chris Luquette East Coast Bluegrass Band

Ellery vem de Los Angeles e vive em Nova York há quase 20 anos. No seu estilo de banjo ecoam grandes nomes, desde Earl Scruggs a Tom Adams.

Cesar Moreno, natural de Nova York, é um dos melhores cantores de tenor da música bluegrass, e toca todos os estilos de música no bandolim com naturalidade, desde bluegrass clássico até música Dawg e jazz.

O contrabaixista Max Johnson é de Hoboken, Nova Jersey e fez digressões com a The Jeff Austin Band e com muitas outras bandas de bluegrass. É bem conhecido no mundo do jazz como um bom compositor, e liderou muitos combos de jazz em digressão no Norte da América e na Europa. Max é, também, professor de música na Brooklyn College. 

Em Nova York, eles têm uma variedade de shows regulares e podem ser vistos em locais de música em Manhattan e Brooklyn.

Milkeaters

Chéquia

Milkeaters é uma banda de música europeia de sucesso da Chéquia, que toca desde música bluegrass, a música pop, sendo a maioria música original.

Composta por David Benda no banjo, Petr Šolc, no contrabaixo, Petr Ježek na guitarra e Jan Bláha no violino. O primeiro álbum dos Milkeaters  foi lançado em 2020, sendo que a banda ganhou a maioria dos seus fãs graças à sua energia indomável, abordagem distinta e actuações poderosas.

A banda foi nomeada para banda europeia de bluegrass em 2022 no Festival francês, La Roche, e David Benda sagrou-se campeão de banjo no concurso Word Virtual Bluegrass Banjo 2020.

O seu espectáculo é cheio de humor, performances instrumentais de classe mundial e energia poderosa. Tudo isso garante que o público diverte-se durante toda a actuação, tendo uma experiência incrível.

The Long John Brothers

Suíça

Depois da boa crítica a “Lost Forty-Niners” em 2019, os The Long John Brothers regressam com “Many Astray”, segundo álbum, ainda em registo Bluegrass-Americana, com uma abordagem melódica emprestada muito do folk e até de olho no side pop.

Os The Long John Brothers deram um passo em frente, nesta música tecnicamente exigente, em particular graças aos muitos concertos que se seguiram ao primeiro álbum, trazendo-os, entre outros, duas vezes ao palco principal do muito respeitado festival Bluegrass in la Roche ou no festival Zermatt Unplugged para performances que causaram bastante boa impressão. 

Além disso, já atuaram em dezenas de palcos de todos os tamanhos, em toda a Suíça e França.

Mad Meadows

Alemanha

A banda em torno da dupla fundadora Edward Fernbach (bandolim) e Beni Feldmann (guitarra) toca música bluegrass.

Depois de alguns anos de digressões regulares, a banda adquiriu um repertório que, além de alguns padrões absolutos de bluegrass, também inclui muitas criações originais emocionantes e versões cover de artistas conhecidos, material de John Hartford, Tim O’Brien ou John Prine que valem a pena ouvir.

Actualmente a banda é composta por Beni Feldmann, na guitarra, Edward Fernbach, no bandolim, Frank Benn no dobro e Alain Kempf no contrabaixo.

Long way home duo

EUA/Países Baixos

Long Way Home é um duo de música tradicional, atualmente baseado nos Países Baixos. Embora se baseiem na experiência em bluegrass e música tradicionais norte-americanas, o seu repertório diversificado varia de favoritos reconhecíveis a músicas originais que são baseadas nas suas próprias experiências da vida real.

Owen Schinkel (Países Baixos) e Kylie Kay Anderson (Utah, EUA) conheceram-se em Johnson City, Tennessee, enquanto estudavam no programa Bluegrass, Old-Time & Country Music Studies na East Tennessee State University. Depois de concluírem os seus estudos, Owen e Kylie decidiram mudar-se para o Condado de Cork, na Irlanda, para aprender, experimentar a música bluegrass no estrangeiro e inspirarem-se em novos géneros musicais. Depois de permanecerem 3 anos em Cork, Owen e Kylie mudaram-se para os Países Baixos para continuarem a sua viagem.

O projeto Long Way Home Duo é o resultado da inspiração e experiências adquiridas enquanto viajam pelo mundo juntos.

Stonebones
& Bad Spaghetti + Chris smith

Portugal/EUA

Os Stonebones & Bad Spaghetti são provavelmente a única banda de Bluegrass em Portugal. Distinguem-se pela incrível energia da sua música e pelo desempenho entusiástico em palco. Ao vivo, apresentam temas inéditos em Português, compostos ao estilo da música Bluegrass e também uma recolha abrangente de músicas tradicionais e covers, podendo adaptarem-se a qualquer ambiente pretendido. Já atuaram em diversos festivais de renome de música bluegrass na Europa, em países como os Países Baixos, França, Noruega, Espanha, Suíça, Escócia e também Portugal, onde deixaram sempre a sua marca bem nacional.

Chris Smith faz parte da cena bluegrass de Bay Area, na Califórnia, há muitos anos. É mais conhecido pelo seu trabalho com a premiada banda Mighty Crows Bluegrass, que fundou em 2004. Foi vencedor do prémio de vocalista masculino do ano da The Northern California Bluegrass Society. O seu estilo e repertório tradicionais lembram os tempos de ouro da música bluegrass dos anos 1940 e 50. Pode esperar ouvir interpretações poderosas de músicas dos Stanley Brothers, Bill Monroe, Flatt e Scruggs, Vern Williams, Red Allen, Dave Evans, James King e Jimmy Martin.

Atividades

divider

Jams Espontâneas

A música bluegrass é para todos e todos estão convidados a fazer parte deste maravilhoso estilo de vida que é a música bluegrass! Além dos concertos das bandas, as Jams são parte importante de um festival de bluegrass, que podem acontecer em qualquer lugar e a qualquer hora.

Traz o teu instrumento e junta-te aos músicos. Ou podes apenas ouvir, se gostares da música. As jams são imagem de marca num festival de bluegrass, às quais não vais, com certeza, querer faltar!

Contacta-nos e pede para aderir a este grupo de WhatsApp!

Workshops
com os Músicos

Os workshops serão momentos imperdíveis de conheceres melhor a música bluegrass e de contactares com os músicos convidados.

No Ponto de Encontro, Palco Casino:

  • Dia 9 às 10h30 – Workshop de Violino com Jan Bláha
  • Dia 9 às 11h30 – Workshop de Bandolim com Kylie Kay Anderson
  • Dia 9 às 12h30 – Workshop de Guitarra com Chris Luquette
  • Dia 10 às 11h30 – Workshop de Dobro com Olivier Uldry
  • Dia 10 às 12h30 – Workshop de Banjo com David Benda

Entrada livre para todos.
Traz um instrumento ou não. Não precisa reserva!

O SOM DO AZUL

As estórias da Anabela onduladas com o som da música Bluegrass do António Rosa irão embalar todas as idades, a marcar o momento de abertura da segunda edição do Festival Bluegrass!

Duração 45 minutos.

  • Dia 8, às 16h30, junto ao Presídio da Trafaria

Visita pela Trafaria

Com Francisco Silva do Centro de Arqueologia de Almada

Queres conhecer esta preciosa vila Onde o Tejo se Faz ao Mar?

O Francisco e o Centro de Arqueologia de Almada têm se dedicado a estudar a sua história e as suas origens, junta-te ao grupo que será composto por muitos habitantes locais e fica a conhecer melhor sobre os vários recantos e encantos.

Duração 1 hora, dificuldade fácil.

  • Dia 8 às 18h00, com início no Casino da Trafaria e fim junto ao Presídio da Trafaria

CAMINHADA À VOLTA DA TRAFARIA

Com Francisco Silva do Centro de Arqueologia de Almada

A Trafaria é ainda mais preciosa quando se conhece toda a sua envolvente, as matas, encostas, enxurradas, fortes e baterias. Nesta caminhada para os mais resistentes vão poder conhecer os segredos mais bem escondidos e as mais belas vistas da Trafaria.

Duração 2 horas, dificuldade média.

  • Dia 9, às 9h30, com início e fim no Casino da Trafaria.

YOGA INTEGRAL NO PRESÍDIO

Para começar bem o dia propomos uma prática de yoga integral, para trazer ao corpo e mente a sensação de energia e bem estar logo pela manhã e assim possa desfrutar do nosso festival em pleno. Comece por si e estenda os benefícios que o yoga proporciona a todos os que o rodeiam.

Duração 1 hora, dificuldade fácil.

  • Dias 9 e 10 às 9h30, junto ao Presídio da Trafaria

ESPAÇO AVÓS & NETOS DO MAR

Promover o envelhecimento ativo e a interação de gerações.

A Be YourSelf e o seu grupo de jovens em colaboração com a Santa Casa Misericórdia de Almada, vai estar presente no nosso Festival.

Alguns dos Avós da Trafaria, que representam o território, vão trazer o seu brilho e boa energia dando-lhe o seu devido valor nas várias frentes.

Os Avós do Mar vão mostrar as suas artes.

Teremos ainda duas zonas de diversão, jogos como tiro com Arco e Argolas loucas e outra com pinturas faciais sempre em boa companhia com os nossos idosos locais.

Idade é um número e a vontade de festa é intemporal! Para todas as idades, vai ser diversão garantida!

Nalgumas atividades poderá ser cobrado um valor simbólico.

No Largo da República:

  • Dia 9 das 10h00 às 13h00 e das 15h00 às 18h00
  • Dia 10 das 10h00 às 17h00

(DE)CORAÇÃO TRAFARIA BLUEGRASS

A sustentabilidade faz sentido sempre, mas ainda mais quando se embarca num projeto de um festival comunitário. As decorações das nossas ruas e palcos foram todas construídas por voluntários, que montaram durante meses grinaldas e peixinhos, a partir de materiais desperdiçados. Vem aprender como e poderás também construir usando a tua criatividade.

No Largo da República:

  • Dia 9 das 16h00 às 19h00
  • Dia 10 das 16h00 às 17h00

NA PONTA DA AREIA

Uma produção Arte33/ RDT-Casino

Direcção artística: Ana Nave

Histórias nas ruas da Trafaria contadas através de formas animadas por: Alice Rolo, Francisco Silva, Rui Silvares, Carla Silva, António Olaio, Elsa Viegas, Elsa Elias, Glória Lima

Pesquisa e investigação: Francisco Silva, Rui Silvares.

Concepção Plástica: Rui Silvares, Rui Oliveira, Alice Rolo.
Orientação de manipulação: Rui Oliveira, Ângela Ribeiro
Textos de: Rui Silvares, Francisco Silva, Xico Braga, Angela Ribeiro, Carla Silva

Fotografias: Paulo Nunes

Entre o Coreto e a Sociedade Recreativa Musical Trafariense:

  • Dia 9 entre as 16h00 e as 17h00 

WORKSHOP DE DANÇA CLOGGING

Coordenado por Phoebe Ophelia, uma premiada dançarina percussiva de step dance.

Apresentação seguida de workshop com música ao vivo.

O Clogging é uma dança folclórica percussiva caracterizada por um rápido trabalho de pés e torsos praticamente imóveis.

Ao som da típica música dos montes Apalaches, iremos aprender a virtuosidade do Clogging e demonstrar-te que, tal como viver o espírito Bluegrass, qualquer um de nós o pode praticar.

As apresentações incluem Flat Foot Dance dos montes Apalaches, Lancashire Clog e sapateado de jazz. Phoebe é também uma conceituada artista de teatro de dança contemporânea que efetua digressões internacionais há mais de 10 anos.

No salão do Palco SRMT. Dificuldade média.

  • Dia 9 entre as 18h00 e as 19h00

PEDDY PAPER TRAFARIA BLUEGRASS

Um jogo para todas as idades que te fará conhecer melhor a Trafaria e os seus recantos, bem como navegar pelo mundo Bluegrass.

Duração 1 hora. Dificuldade fácil.

  • Dia 10 às 10h00, com início no Largo da República.

Palcos

divider

Mapa da Trafaria